sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Poesia

"Às vezes, eu escrevo visceralmente a ponto de chorar e tremer.
Às vezes, é pura poesia, beleza e encanto.
Noutras, não faço a mínima idéia do que estou tentando dizer.
Por que escrevo isso, já que não estou chorando mas estou sentindo?"


Faço minhas, as palavras de João Cony.

2 comentários:

Diego disse...

Sua cara o poema...

Saudades da Paulinha que nunca me disse o que fazer!


Beijos linda

Diana Paula Maia disse...

kkk...
Dieguinho você é M-A-R-A demais...
um dia te digo o que fazer!
kkk

Beijo,
Saudade!